Nessa situação, é recomendável fazer um empréstimo consignado, quitar a dívida do cheque especial e ir pagando de forma mais suave o crédito consignado. Com essa atitude, troca-se uma dívida com juros altíssimos por outra com juros bem menores. Essa substituição influencia muito no pagamento de juros mensais e, consequentemente, dá um alívio nas contas do mês. Dessa forma, é possível separar um valor por mês para poupar. Lembre-se: cheque especial e parcelamento do cartão de crédito são péssimas opções, porque têm as taxas de juros mais elevadas. Já o empréstimo consignado e o crédito pessoal oferecido por algumas instituições são boas alternativas, porque cobram taxas de juros mais acessíveis.