Evite itens na sua planilha que são nomeadas como “Outros” e “Diversos”, pois para o planejamento funcionar os detalhes são fundamentais. Não adianta gastar e não saber para onde foi o dinheiro, certo?

Lembre-se ainda que o cartão de crédito é uma forma de pagamento e não um grupo de gastos, portanto ao efetuar o pagamento do supermercado com ele, o valor dessa despesa deverá ser alocado nos gastos de “supermercado” e não em uma despesa “cartão de crédito”.

Aprendendo a lidar com o dinheiro
Falar sobre dinheiro sempre foi um desafio para boa parte das famílias. Por isso, ao abordar o dinheiro sobre o ponto de vista do planejamento financeiro (e não apenas quando ele é sinônimo de problema), caminhamos para formar pessoas que vão valorizar não o dinheiro em si, mas sua importância para construção de liberdade e qualidade de vida.

Defina seus objetivos e projetos financeiros
Defina objetivos de curto, médio e longo prazo
Defina objetivos de curto, médio e longo prazo
Muita gente começa, por diversas vezes e em vários momentos da vida, a guardar dinheiro. Fazem isso até mesmo por períodos relativamente longos, em alguns casos até por anos, mas não conseguem ver propósito no ato de poupar e acabam gastando o dinheiro de uma hora para outra.

A experiência de poupar por poupar vem mostrando que essa estratégia não funciona. É importante que exista um objetivo para o dinheiro: o motivo bem claro funciona como um motivador adicional para você poupar e investir melhor seu dinheiro.

Defina seus objetivos como de curto, médio e longo prazo. A partir daí, faça projeções de quanto vai precisar de dinheiro para realizar seu objetivo. Dependendo do tempo (maior ou menor), você deverá escolher investimentos diferentes (mais ou menos arriscados, com maior ou menor potencial de retorno).

Um bom exemplo para demonstrar a ideia é um jovem com 20 anos que deseja alcançar a independência financeira aos 65. Como o objetivo é de longo prazo, faz todo sentido ele aproveitar boas oportunidades na renda variável (com até 50% do patrimônio lá, por exemplo), visto que o tempo ao seu favor diminui o risco.

Educação financeira pessoal: um conhecimento rentável
A educação financeira é muito mais do que simplesmente falar sobre dinheiro ou ficar apenas alimentando planilhas. Educação financeira é sinônimo de liberdade!

Ao vivenciar na plenitude os conceitos da educação financeira, as pessoas passam a valorizar a gestão e as escolhas conscientes, descobrindo que a conquista dos sonhos é mais rápida (e barata) quando feitas com planejamento.

Educação financeira é valorizar os recursos, aprendendo a construir cada vez mais com menos.

Ajuste os seus hábitos
A mudança ou ajuste nos hábitos é essencial para quem busca a educação financeira como um estilo de vida.

A transformação começa ao abandonar o consumo simplesmente por status, afinal a transformação da educação financeira nos apresenta um mundo real onde o bem-sucedido não se sente realizado por demonstrações ou ostentação, mas sim por conquistas pessoais.

Economize seu dinheiro periodicamente
A educação financeira abre portas para a construção de patrimônio. A economia periódica é importante, afinal o planejamento financeiro que funciona é aquele que constantemente é revisto e aprimorado.

Economize e invista sempre, isso facilita seu caminho para a independência financeira. E para saber como está sendo a jornada, separe um período do ano para fazer a revisão de seu planejamento.

Invista e economize inclusive quando tudo parece estar indo bem demais, pois são nesses momentos que costumamos sair fora da linha.