Já deu para perceber que você terá um grande ‘rombo’ neste mês no seu Controle, certo?

Regime de Caixa


Neste regime, o que importa é o efetivo desembolso (ou recebimento) do dinheiro. Voltando ao exemplo do carro, podemos imaginar que você conseguiu uma excelente promoção: pagará uma entrada de R$ 2.000,00 e o resto será dividido em 20 vezes sem juros (parcelas de R$ 1.000,00).

No seu Controle de Fluxo de Caixa você iria lançar no mês de Março somente os R$ 2.000,00 pagos inicialmente. E então, a partir de abril, seriam lançados R$ 1.000,00 mensalmente.

Objetivos de cada Método

De uma maneira geral, estes controles têm objetivos parecidos: ambos buscam o equilíbrio financeiro. Mas devido às diferenças nos métodos destes controles, os objetivos mais específicos de cada um são diferentes.

O objetivo principal do Regime de Competência e do Controle Orçamentário é garantir que você não gaste mais do que pode, a partir de um planejamento prévio.

Já o objetivo principal do Controle de Caixa é refletir a posição real do dinheiro que você tem, possibilitando analisar eventuais necessidades de empréstimos (no caso de falta de caixa) ou possibilidades de investimento (no caso de sobra de caixa).

Vantagens e Desvantagens


Não é possível dizer que um método seja melhor que o outro, mas é importante saber distinguir as vantagens e desvantagens de cada um para decidir qual a melhor opção dependendo do seu cenário.

Controle Orçamentário:


A grande vantagem deste método é que você já considera toda o valor da despesa logo na compra de algum bem ou serviço. Ou seja, podemos dizer que este é um método mais ‘conservador’: você já considera todo o desembolso logo no início e o seu Orçamento também é consumido neste momento.

Para as pessoas que têm certa dificuldade em manter os gastos controlados (pelo fato de comprar muito ou usar o cartão de crédito ou parcelamento para financiar estas compras), este talvez seja o método mais indicado: o Orçamento já vai ficar no ‘vermelho’ assim que a compra é feita!

Controle de Fluxo de Caixa:


Este método possibilita uma visão mais real do dinheiro que você efetivamente tem. A grande desvantagem é que você pode ter a falsa impressão de que tem dinheiro sobrando e pode gastar mais.

No caso da compra do carro, se alguém olhar para o Fluxo de Caixa no curto prazo, verá que a situação financeira do indivíduo está muito boa nos meses de Março e Abril, afinal os gastos lançados nestes meses foram baixos. Isto pode estimular a pessoa a fazer mais compras e assumir mais dívidas.

O Fluxo de Caixa irá mostrar que no médio e longo prazo (por exemplo em Novembro ou Dezembro), as contas já poderão começar a ficar no vermelho. Mas pouca gente efetivamente se preocupa com o longo prazo …

Assim, o Fluxo de Caixa é recomendado para as pessoas mais controladas, que não compram por impulso e possuem uma visão de longo prazo.

Conclusão


Se você é um iniciante no Controle Financeiro ou se tem um perfil mais ‘gastador’, use o Controle Orçamentário com regime de competência.

Para os mais experientes e menos ‘gastadores’, o Fluxo de Caixa pode dar informações muito interessantes sobre possibilidades de sobra de caixa para investimentos.

Mas, se possível, mantenha os dois controles!