Você já deve ter visto na televisão: milhares de brasileiros, em frente ao computador, correm contra o tempo para enviar a declaração do imposto de renda dentro do prazo estipulado, que neste ano se encerra às 23h59 do dia 30 de abril.  No entanto, apesar de todos os anos o procedimento ser bastante semelhante, muita gente ainda tem dúvidas sobre como proceder. Por isso, preparamos este texto com tudo aquilo que você precisa saber para declarar o seu imposto de renda de pessoa física.

Para começar, vamos lá: imposto de renda nada mais é que o valor anual descontado sobre os rendimentos dos trabalhadores. A gente explica isso de forma detalhada mais para frente...

 

QUEM DEVE DECLARAR

Pessoas com rendimentos tributáveis – a soma dos salários, por exemplo - que ultrapassaram o montante de R$ 28.559,70 em 2019, que acumularam mais de R$ 40 mil na poupança no ano anterior, proprietários de bens acima de R$ 300 mil ou ainda aqueles que negociaram ações na bolsa. Se você não preenche nenhum dos requisitos, fique tranquilo, pois será considerado isento pela Receita Federal.


 

EXERCÍCIO

Fique atento: a declaração sempre vai se referir ao exercício anterior. Neste ano declaramos os gastos e ganhos de 2019. É a Receita Federal, após o envio das informações, que determina se o contribuinte pagou mais impostos do que o estipulado e será restituído, ou pagou menos e deverá compensar. Ambos os valores são fornecidos assim que a declaração é preenchida - a restituição acontece via depósito na conta corrente informada e a compensação deverá ser paga via boleto ou débito automático.

 

O QUE DECLARAR

Talvez, este seja o tópico que costuma gerar mais dúvidas. Por isso, vale a pena pegar papel e caneta e anotar tudo aquilo que se deve declarar. A lista é extensa: a declaração deve conter tudo aquilo que o contribuinte ganhou, desde salários e aposentadorias, até pensões e aluguéis, que devem ser declarados como "rendimentos tributáveis". Entram também bens como casa e automóveis, além de despesas com escola e plano de saúde. Se você é inquilino em algum imóvel não poderá deduzir este valor do imposto, mas, mesmo assim, deverá informar o quanto pagou de aluguel na declaração. Em “rendimentos isentos e não tributáveis” deverão ser declaradas poupança, indenizações, e seguro-desemprego.

 

TIPOS DE DECLARAÇÃO

A Receita Federal disponibiliza dois modelos de declaração: o completo, indicado para contribuintes que têm muitas despesas para deduzir, ou o simplificado. Ao final do preenchimento, o próprio sistema informa qual deles é a melhor opção.


 

DEPENDENTES

Gastos com dependentes – mensalidade de escolas e saúde, por exemplo, podem ser descontados do imposto de renda. A cada dependente é imputado o abatimento máximo de R$ 2.275,08.

 

AUTÔNOMOS

Autônomos e trabalhadores não registrados com rendimentos tributáveis que ultrapassem a quantia de R$ 28.559,70 também devem realizar a declaração.

 

ONDE DECLARAR

Enviar a declaração de imposto de renda é um procedimento simples e totalmente online. Basta fazer o download do programa, disponível aqui, preencher as informações e subir para o sistema. 

 

MULTA

Sonegar imposto é crime sujeito a multa de 150% em relação ao valor devido caso as informações sejam informadas de maneira errada, e até 20% em situações de atraso do envio. Portanto, não fuja das suas obrigações e declare o quanto antes. Lembre-se, a restituição obedece a ordem de envio!

 

Ainda tem dúvidas? Não se preocupe. Selecionamos alguns vídeos que poderão ajudá-lo durante o preenchimento:

Imposto de Renda 2020: como preencher a declaração

IMPOSTO DE RENDA: Como declarar pela primeira vez? | Dicas pra iniciantes